Quais são os tipos de biocombustíveis?

Quais são os tipos de biocombustíveis?

Tempo de leitura: 2 minutos

Os biocombustíveis são um tipo de fonte de energia renovável que apresenta baixos níveis de poluição. Eles são uma alternativa para a utilização de combustíveis fósseis como o petróleo, o gás natural e o carvão, que liberam gases prejudiciais à atmosfera em seu processo de combustão e não são renováveis. 

De acordo com um estudo da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA, sigla em inglês), os biocombustíveis, dentre outras atitudes sustentáveis, seriam capazes de reduzir cerca de 70% das emissões de gases prejudiciais à atmosfera até 2050; o que contribuiria para menores índices de poluição no planeta.

Uma das vantagens dos biocombustíveis seria que as matérias primas utilizadas para a sua elaboração, como a soja e a cana-de-açúcar, podem ser cultivadas, o que acaba gerando mais oportunidades de empregos no ciclo produtivo e também eleva os números de exportações do país.

Segundo a pesquisa Statistical Review of World Energy, da British Petroleum (BP), os Estados Unidos (com cerca de 697 mil barris de óleo equivalente por dia), o Brasil (com aproximadamente 444 mil barris de óleo equivalente por dia) e a Indonésia (com uma média de 123 mil barris de óleo equivalente por dia) foram os três países que mais produziram biocombustíveis em 2019. 

Para que você possa entender ainda mais sobre o assunto, a NEX separou alguns tipos de biocombustíveis e suas características, confira: 


Etanol

O etanol é um tipo de álcool gerado principalmente a partir da cana-de-açúcar. Ele é comumente utilizado como combustível para automóveis e pode ser uma alternativa para a redução do uso de petróleo. 


Biodiesel

O biodiesel é um tipo combustível gerado a partir de matérias vegetais ou animais. Ele contribui para a redução da emissão de gases poluentes na atmosfera e pode ser utilizado na produção de energia e no funcionamento de transportes. 

Biogás

O biogás pode ser gerado a partir da decomposição da matéria orgânica; para a sua elaboração podem ser usados insumos como o esterco, o lixo e os bagaços. Dentre os equipamentos necessários para a geração do biogás estão os biodigestores, que trabalham para adequar o ambiente de produção. 

Dos três tipos de biocombustíveis apresentados, o etanol é um dos mais populares no Brasil. Desde a criação do Programa Nacional do Álcool (Proálcool), na década de 1970, o etanol e outros tipos de biocombustíveis começaram a ser mais utilizados, na tentativa de reduzir o consumo dos derivados de petróleo.  

Estar atualizado sobre as tendências do mercado é extremamente importante, por isso a NEX sempre tenta trazer os melhores conteúdos para você. 

Quer acompanhar mais materiais sobre sustentabilidade? Então siga as nossas redes sociais.

Como ser mais consciente na era do delivery?

Como ser mais consciente na era do delivery?

Tempo de leitura: 2 minutos

Devido a pandemia do novo coronavírus, as pessoas passaram a ficar mais tempo em casa e, consequentemente, começaram a pedir uma maior quantidade de produtos e alimentos pela internet. Com isso, os aplicativos de delivery, que já estavam crescendo, ganharam ainda mais destaque. 

De acordo com uma pesquisa de 2020 da Delivery Much, existem ao menos 20 aplicativos que oferecem serviços de entrega em domicílio no Brasil. Os dados também apontam que mais de 70% das pessoas pedem comida de forma online, por causa da facilidade e praticidade do trabalho

Alguns restaurantes enviam os lanches dentro de embalagens plásticas, que muitas vezes não são descartadas no lugar correto, gerando um maior acúmulo de resíduos nas cidades. Percebe-se também que grandes quantidades desses alimentos acabam sendo desperdiçados ou estragam, devido ao seu curto prazo de validade.

Assim, proporcionalmente ao aumento dos pedidos delivery, uma maior quantidade de lixo também é produzida pelos consumidores. Segundo o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil de 2020, entre 2010 e 2019 a geração de Resíduos  Sólidos Urbanos (RSU) no país passou de 67  milhões para  79 milhões de toneladas por ano. A produção per capita também cresceu,  de 348 kg/ano para o índice de 379 kg/ano.

A partir desses fatores, surge um questionamento: será que é possível ser mais consciente e sustentável na “era do delivery”? Confira algumas dicas que a NEX separou para que você consiga ser mais responsável enquanto consome seus alimentos pedidos por app:

Utilize somente o necessário 

Alguns restaurantes perguntam ao consumidor, via aplicativo, se ele irá precisar de guardanapos, garfos, facas ou canudos. Se você tiver esses elementos em casa, é recomendável que você faça uso deles, recusando os descartáveis oferecidos pelo estabelecimento. Nem sempre as plataformas disponibilizam essa pergunta, por isso é importante especificar os itens necessários nas observações da compra. 

Reutilize as embalagens do delivery 

Muitas embalagens plásticas que trazem os lanches podem ser reutilizadas de forma criativa nas nossas próprias residências. Um recipiente mais fundo pode se transformar em um vaso de plantas e outro pode ser uma lixeira, por exemplo.

Separe o lixo

Quando não for possível reaproveitar as embalagens, é importante descartá-las da forma correta. Para facilitar a coleta e o destino dos resíduos, os lixos orgânicos, como os restos de alimentos e as cascas de ovo, devem ser separados dos lixos recicláveis, que englobam os plásticos, os vidros, os papéis e os metais.

Pense em alternativas para evitar o desperdícios de alimentos

Às vezes os lanches não são totalmente consumidos, e nesses momentos é fundamental pensar em estratégias para não descartá-los. Normalmente os restaurantes disponibilizam formas de contato, tente perguntar ao estabelecimento quais são os cuidados necessários para conservar o alimento (entenda se é melhor esquentar no microondas, deixar na geladeira ou em temperatura ambiente). 

Com essa atitude você consegue evitar o desperdício e, em consequência, auxiliar o meio ambiente. 

Escolha restaurantes de delivery que se preocupam com o planeta

A atitude sustentável se inicia antes do pedido chegar na sua residência. Escolher estabelecimentos que se preocupam com o meio ambiente e procuram não gerar tanto lixo com as suas embalagens é importante para criar uma maior consciência em relação aos recursos naturais, por exemplo. 

Acompanhe mais conteúdos sobre sustentabilidade seguindo as nossas redes sociais.

Mitos e verdades sobre as contas de luz das padarias

Mitos e verdades sobre as contas de luz das padarias

Tempo de leitura: 2 minutos

Você já ouviu falar que as contas de luz das padarias são muito caras? Essa é uma questão que gera polêmicas, pois esses estabelecimentos normalmente utilizam diversos equipamentos elétricos e, consequentemente, consomem uma maior quantidade de energia; mas será que não existem alternativas para diminuir esses gastos

Procurando solucionar as suas dúvidas, a NEX separou alguns mitos e verdades sobre os gastos energéticos das panificadoras, dessa forma fica mais fácil saber no que podemos acreditar ou não. Confira então os mitos e verdades:  

Não existe solução para a redução de gastos com contas de luz das padarias

Mito: Existem diversas estratégias e alternativas para a economia de luz nos estabelecimentos, sendo uma delas a utilização de fontes renováveis de energia. Esse modo de consumo auxilia tanto na redução dos gastos do local quanto na preservação e na sustentabilidade do planeta.

As contas de luz são um dos principais gastos das padarias 

Verdade: A necessidade da utilização de equipamentos como fornos elétricos, refrigeradores e assadeiras, faz com que as contas de energia de muitas panificadoras fiquem mais caras. 

Não é necessário que especialistas auxiliem na gestão e no planejamento energético das panificadoras

Mito: Na maioria dos casos é recomendável que um especialista da área analise o uso energético do estabelecimento, indicando os caminhos para a redução dos gastos. Um engenheiro elétrico, por exemplo, pode realizar um estudo mais completo sobre o consumo da energia no local, trazendo soluções acessíveis para o problema.

A manutenção regular dos equipamentos da panificadora pode auxiliar na redução dos gastos com energia

Verdade: Muitas vezes equipamentos de panificação, como refrigeradores mais antigos, podem ter algum problema interno que acaba fazendo com que os seus motores trabalhem mais e, consequentemente, gastem uma maior quantidade de energia. 

Por isso é aconselhável que a manutenção e a vistoria das ferramentas de trabalho sejam feitas regularmente.

A arquitetura da panificadora não influencia nos gastos com energia 

Mito: Ambientes muito fechados, sem tanta ventilação e luminosidade tendem a gastar mais, pois necessitam de ar condicionado ou de um maior número de lâmpadas, por exemplo. Tentar trazer luz natural ao espaço pode auxiliar significativamente na diminuição das despesas. 

O sistema de iluminação das padarias pode contribuir para o aumento nos gastos de energia 

Verdade: Escolher um tipo de lâmpada que necessite de menos eletricidade, aproveitar a luz natural do ambiente e conversar com especialistas do ramo elétrico são algumas das alternativas que podem auxiliar na economia e eficiência energética da panificadora.

Ficou com alguma dúvida sobre as contas de luz das padarias? Entre em contato com a equipe da NEX, estamos à disposição para te ajudar da melhor forma possível.

Conheça mais soluções sustentáveis que a NEX pode oferecer ao seu negócio acessando o nosso site.

Tudo que você precisa saber sobre as bandeiras tarifárias

Tudo que você precisa saber sobre as bandeiras tarifárias

Tempo de leitura: 3 minutos

Você já percebeu um aumento no preço da sua conta de luz de um mês para o outro e não sabia qual era o motivo do reajuste? Acredite, você não é o único. A variação desses valores está relacionada à produção energética do país, e é informada aos consumidores por meio das bandeiras tarifárias. 

As bandas tarifárias fazem parte de um sistema que alerta mensalmente as pessoas acerca dos custos da geração de energia elétrica. As bandeiras são separadas por cores (verde, amarela e vermelha), que indicam o aumento ou a diminuição dos gastos. 

Como as bandeiras funcionam?

A geração de energia depende de alguns fatores climáticos, como os períodos de chuva ou de seca. Em períodos chuvosos, as hidrelétricas conseguem realizar um distribuimento energético para a maior parte do país, porém em épocas de escassez de chuva, essas usinas perdem a sua capacidade de geração. A partir desse cenário, outras fontes de energia são acionadas, como as termelétricas, que possuem um custo mais alto de produção. 

As bandeiras tarifárias funcionam, portanto, como sinalizadoras desses movimentos, alertando os consumidores sobre os preços de cada mês de acordo com as formas de geração de energia.

É importante lembrar que as bandeiras não são um gasto adicional para o consumidor, pois esse valor já está incluso na própria fatura.

Por que é importante saber qual é a bandeira tarifária do mês?

Com o sistema das bandeiras tarifárias, as pessoas e as empresas conseguem saber antecipadamente a previsão do valor de suas contas mensais de energia. Assim, os consumidores podem se organizar financeiramente, buscando realizar economias energéticas em suas residências ou estabelecimentos.  

A redução do uso de energia por parte do consumidor não possui a capacidade de mudar a cor da bandeira de forma direta, pois elas são alteradas de acordo com as formas de geração de energia, e não necessariamente com os menores índices de utilização. 

De qualquer forma, a diminuição dos gastos energéticos de uma residência ou empresa, possibilita ao consumidor uma queda ou estabilização no preço de sua conta de luz, além de contribuir para a preservação dos recursos energéticos e da sustentabilidade do planeta.

O que significam as cores das bandeiras?

Como mencionado anteriormente, as bandeiras são divididas em três cores, que representam o aumento ou a diminuição dos gastos energéticos. As cores das bandeiras e seus significados são: 

Verde

A bandeira verde representa que as condições para a geração de energia estão favoráveis e que não haverá um aumento no preço das contas de energia. 

Amarela

Quando as condições para a geração de energia não estão tão favoráveis, a bandeira fica amarela, representando um alerta para os consumidores pouparem energia. Nessa bandeira há cobranças adicionais proporcionais ao consumo de energia na razão de R$ 1,50 por 100 kWh (ou suas frações).

Vermelha

A bandeira vermelha representa uma piora ainda mais significativa nas condições de geração de energia, sinalizando ao consumidor que o preço da conta pode aumentar. Esse estágio é dividido em dois patamares:

  • Bandeira vermelha (patamar 1): As condições de geração de energia são ruins, indicando que as quantidades de consumo devem ser repensadas. Há também um aumento na tarifa, as cobranças adicionais proporcionais ao uso são na razão de R$ 4,00 por 100 kWh (ou suas frações).
  • Bandeira vermelha (patamar 2): Serve de alerta aos consumidores sobre uma piora expressiva nas condições de produção energética. O acréscimo da tarifa é ainda mais significativo, as cobranças adicionais proporcionais ao consumo são na razão de R$ 6,00 por 100 kWh (ou suas frações).

Como e onde saber qual é a bandeira do mês?

A bandeira tarifária normalmente está descrita na parte inferior da fatura da conta de luz, mas o site da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) também divulga o valor da bandeira para o próximo mês. 

A bandeira que está em vigor no momento deve ser informada nos endereços eletrônicos de todas as distribuidoras em um período de dois dias úteis após a comunicação da ANEEL. 

Vale lembrar que, se você for um consumidor NEX e está com alguma dúvida sobre as bandeiras tarifárias, basta entrar em contato com nossa equipe que está sempre a disposição para lhe ajudar. 

Quer acompanhar mais conteúdos sobre energia? Então siga as nossas redes sociais.