Entrevista | Recicle Reutilize Plante – A importância da reciclagem para o meio ambiente

por | out 30, 2020 | Sustentabilidade

Tempo de leitura: 3 minutos

Você sabe para onde vai o seu lixo? Aqui no Brasil, grande parte do que é descartado vai para aterros sanitários, tendo muitas vezes uma destinação incorreta. De acordo com estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) divulgado em 2017, apenas 13% de todo o lixo urbano produzido do país são destinados da maneira correta à reciclagem.

Outra pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência a pedido da Cervejaria Ambev, mostra que apesar dos brasileiros saberem a importância do cuidado com o meio ambiente, 66% afirmam saber pouco ou nada a respeito de coleta seletiva e 28% não sabem citar quais são as cores das lixeiras para coleta do material. Ou seja, apesar de sabermos que cuidar do nosso planeta é fundamental, ainda não entendemos como podemos contribuir, de verdade, com essa transformação.

E por onde começar? Pensando nesta pergunta, a NEX resolveu conversar com a jornalista, especializada em design e sustentabilidade, Luiza Sarmento, e com a engenheira florestal, Aurora Segall, responsáveis pelo Recicle Reutilize Plante, no Instagram. Um projeto que tem o intuito de trazer conteúdos educativos e mais democráticos sobre consumo consciente e sustentabilidade na prática.

Ao longo da conversa, Luiza e Aurora apontam a importância de se ressignificar nosso olhar a respeito da reciclagem e da sustentabilidade em nossas vidas, e como as empresas, também, têm um papel fundamental nessa nova maneira de pensar e se relacionar com o que consomem. Confira agora:

Qual  a importância da sustentabilidade para o mundo?

Aurora Segall: Estamos reparando que os recursos estão se acabando. E creio que o entendimento da finitude faz com que as pessoas olhem que não faz mais sentido continuar apenas consumindo, se também podem reciclar, ressignificar ou reutilizar. Ou seja, se eu posso mudar meu olhar com relação ao que estou fazendo, então que essas ações sejam incentivadas. Por isso, a Luiza e eu sempre buscamos ajudar as pessoas a entenderem mais sobre o que estão fazendo, qual o impacto das suas ações no meio ambiente e como elas podem transformar isso.

Luiza Sarmento: Acredito que a sustentabilidade é a única garantia que temos para conseguir projetar algum futuro possível daqui para frente. A postura de pensar numa vida sustentável, na verdade, nos coloca num lugar de potência. Porque em meio a toda esta crise que estamos vivendo, que contribui para nos sentirmos impotentes, o ato de olhar para nossa própria casa e para nosso próprio lixo, mostra que podemos sim fazer algo. Um passo de cada vez. Um lixo depois do outro. As pequenas ações são muito importantes. No fundo, só elas importam.


E a reciclagem? Vocês acham que ela é vista da maneira correta?

Aurora Segall: As pessoas precisam entender que reciclar não é complicado. Às vezes basta passar uma água na embalagem e limpar, antes do descarte. Coisas pequenas que já ajudam muito. Só de você fazer, por exemplo, uma compostagem em casa, já diminui 50% o volume dos resíduos que vão para um aterro sanitário. É muita coisa. Se todo mundo fizesse isso, estaríamos falando de toneladas que voltariam para a natureza.

Luiza Sarmento: Reciclar não apenas diminui o impacto. Ela gera impacto positivo para o meio ambiente. Por isso, sempre digo que no momento que estamos vivendo hoje, não existe essa questão de gestos pequenos. Se você pensa que uma pecinha de um brinquedo vai demorar 400 anos para se decompor na natureza e já tem o cuidado de fazer o descarte correto, seriam anos a menos, ou seja, não é um gesto nada pequeno.

Outro ponto interessante, é que a gente começa a achar que sustentabilidade ou reciclagem são iguais à dieta. Que temos que cortar absolutamente tudo. E não é bem assim que funciona, porque na verdade é uma postura de tentar renovar sua decisão a cada oportunidade. E para continuar renovando essa escolha,  é preciso aceitar que terão momentos que não vai ser possível fazer tudo corretamente. Reciclar é uma nova mentalidade. Uma nova maneira de se comportar, relacionar e consumir. 


Como as empresas podem adotar a reciclagem em seus estabelecimentos?

Luiza Sarmento: A economia circular deveria ser mais pensada dentro das empresas. O gerador do resíduo, seja qual for o negócio, precisa olhar para esse passivo (lixo) que ele está produzindo. Por exemplo, uma padaria. O que vai no lixo de uma padaria ? De repente ele tem que descartar aqueles potes grandes de margarina e não sabe o que fazer. Quem estaria interessado em fazer dinheiro com aquilo? Quem pode transformar isso em algo útil? 

Essas perguntas precisam estar na cabeça do gestor. Ele tem que estar pensando em como transformar o passivo em ativo.  O comércio tem a obrigação de pagar pelo seu descarte, então se o gestor consegue pegar esse passivo (lixo) e dar uma destinação correta, ao ponto de se transformar em outro bem de consumo, ele vai sair ganhando.  Deixará de pagar por esse descarte e vai fazer parte do ciclo, gerando um valor a essa cadeia. 

A economia circular está virando uma tendência, e não é por acaso. As empresas precisam prestar mais atenção de quem elas compram os produtos, como compram e como os resíduos vão ser descartados.


Quer saber mais dicas sobre como começar a reciclar em casa? Confira agora em nossas redes sociais.




Share This