Sustentabilidade será o maior recurso das empresas no futuro

por | jul 17, 2020 | Artigos

Tempo de leitura: 4 minutos


Não é novidade escutarmos como a sustentabilidade vem virando pauta para várias agendas, setores e debates. Porém, o que ninguém comenta é como ela vem se fundamentalizando como o futuro de qualquer empresa ou organização humana. 

A sociedade vem naturalmente procurando o que os físicos chamam de motoperpétuo, algo que teria o seguinte conceito:

“Um moto-contínuo ou máquina de movimento perpétuo são classes de máquinas hipotéticas as quais reutilizariam indefinidamente a energia gerada por seu próprio movimento. É consenso científico que moto-contínuos são impossíveis de serem construídos, pois violariam a primeira ou a segunda lei da termodinâmica.” 

Ou seja, de maneira resumida, procuramos algo que nos daria recursos infinitos com o menor esforço possível.

A novidade é que já encontramos esse balanço na interação ideal entre a humanidade, natureza e ferramentas, que são os conceitos clássicos que definem a sustentabilidade (social, ambiental e econômico).

Nossa sociedade tende naturalmente ao equilíbrio desses pontos, criando um ciclo fechado e pasmem, sustentável. Por isso, veremos uma tendência natural das empresas a terem também que se adequar a essa condição moderna.

E como isso funciona na prática?

Para facilitar, vou exemplificar como será uma padaria do futuro nessas condições de ciclo fechado ou sustentável.

Toda padaria precisa de energia elétrica, certo? Mas imagina essa energia sendo produzida por outros ciclos fechados que ainda não são explorados em escala (Ex: Energia Solar, Eólica e Biomassa). Em resumo essa padaria teria sua energia limpa e mais barata de forma sustentável, legal né?

Mas do mesmo jeito que as padarias atuais não possuem a cultura de procurar esse tipo de redução de custo utilizando energia limpa, por não saberem que isto já é possível, existe também outras oportunidades que farão parte do cotidiano do negócio, que terão um princípio de ciclo fechado ou sustentável.

Vamos para outro exemplo. Toda padaria precisa de farinha de trigo, não é mesmo? No entanto, a sociedade em geral já vem questionando se o hábito de consumir farinha branca é realmente bom em excesso. Aí que mora o “x” da questão. Provavelmente no futuro, as padarias serão abastecidas por uma rede de produtores de vários tipos de farinha e ingredientes dos mais variados, para garantir a capacidade de oferecer produtos e receitas cada vez mais naturais. E claro, mais adequadas ao momento da sociedade, virando um balanço onde às vezes o cliente quer algo novo ou a padaria oferece uma receita nova. Mas tá Juliano, onde mora a sustentabilidade nesse caso? 

Você já parou para pensar que o conceito de futuro que expliquei está em que cada hora será implementado um consumo novo? Ou seja, a variedade será constante, mas totalmente baseado em ingredientes mais naturais possíveis. 

Voltaremos a empoderar o micro espaço de terra, colocando uma sociedade para dar valor as condições de microprodução, e para não gerar risco de grandes perdas por mudanças de estilo de consumo. E isso fará a humanidade retornar a produção local, se aproximando da natureza que já nos obriga a cuidar de pequenos sistemas, para não perder a capacidade de produção em ingredientes que são gerados somente em condições muito raras e sensíveis.

Basta olharmos a quantidade de startups com esse conceito de microprodução e que logo vão chegar na padaria (Meu Jardim, OGarden Smart, Let’s Patch, Planti). Serão vários ciclos fechados dentro de um mesmo negócio, provavelmente, a maioria com grande apoio da tecnologia.

A sustentabilidade nos processos automatizados

Contadores que me desculpem, seu futuro está com os dias contados de acordo com o modelo que existe hoje. Mas calma, será uma mudança para melhor e que tenho certeza que vocês vão preferir. Caramba Juliano, o que tem a ver com a sustentabilidade da padaria?

Ué, temos que prezar pela sustentabilidade econômica também, e isso terá grande apoio de consultores em geral, que serão uma grande forma de renda no futuro de vários profissionais do passado e um dos avaliadores financeiros das padarias do Brasil a fora, analisando as receitas, custos e despesas de maneira automatizada. Ou, por meio de uma tela de alguma ferramenta financeira dentre as várias que existirão, planejando principalmente como serão gastos os recursos financeiros das empresas, e conforme for sua experiência em geral, poderá oferecer várias oportunidades, além de reduzir gastos com tributos e gerar balanços. 

Basicamente, as empresas irão procurar maneiras de encontrar ciclos fechados em todos os pontos do seu negócio. Não sei se vocês conseguiram perceber, mas tenho certeza que a maioria das padarias já possui um processo automatizado que ao pagarmos na maquinha de cartão, o valor já cai em algum sistema, que no caso será no futuro os sistemas utilizado para análise do consultor/contador

E qual será o fator principal dos negócios do futuro?

Legal, consegui citar alguns dos ciclos fechados ou modelos de sustentabilidade ambiental e econômico que acredito que irão existir ou já existem, mas que serão cada vez mais constantes no questionamento dos empresários e donos de negócio. 

Porém, quero finalizar com o mais importante, e que não citei por considerar que os “últimos serão os primeiros”, o aspecto social.

Não adianta obter através de vários ciclos fechados o sucesso clássico das empresas, que é o Lucro, e não entender o seu papel como ser humano dentro dessa cadeia. 

Sempre faço uma brincadeira com meus amigos e com o time da NEX para explicar esse conceito da importância do social dentro desse ciclo de sustentabilidade:

“Você já viu cachorro ir comprar ração?” 

Espero que isso não aconteça, pois se acontecer estaremos em disputa com uma nova raça dentro da cadeia alimentar.

Brincadeiras a parte, o que quero dizer é que somos nós, os seres humanos que escolhemos como a banda toca no mundo a vários séculos. Infelizmente, também somos os seres que escolhem não valorizar o próximo dentro de uma cadeia de reciprocidade, que deveria ser natural.

O que quero dizer é que o outro ciclo de fechado da sustentabilidade é o social, o qual precisa ser avaliado e empoderado dentro das empresas, dando valor ao fator principal dos negócios do futuro, as pessoas.

Seu colaborador está realmente feliz e contente fazendo o que faz? Recebendo o que recebe? Oferecendo seu tempo que é o ponto mais precioso de uma vida?

Seu cliente está feliz com seu produto ou serviço? Qual foi a última vez que sua empresa avaliou ou busco a satisfação do cliente antes da margem de lucro?

Você está feliz como empresário? Sente que está levando algo com propósito para outras pessoas do mundo?

São questionamentos que fazem o principal ciclo fechado e ativo de uma empresa ser questionado. São as pessoas que garantem que tudo isso fique de pé e que não importe qual modelo sua empresa escolha para ser o mais sustentável possível, todos irão em algum momento passar por seres humanos, seja ele o cliente, seu sócio, seu time ou até família/amigos.

NEX começou com o propósito de oferecer às pequenas e médias empresas o acesso à energia limpa e mais barata, mas entendeu também que isso só seria possível através de pessoas incríveis que são fortalecidas diariamente para serem sustentavelmente mais ligadas em todos esses aspectos que escrevi desde a primeira linha. E que talvez, possamos ser os primeiros a levar esse conceito para dentro das empresas do futuro

Gostou deste conteúdo e quer saber mais sobre a NEX ? Confira o nosso site.

Share This